17 jun 2015
Muitas iniciativas e poucas "acabatvas"

Muitas Iniciativas e poucas acabativas?

0 Flares Facebook 0 LinkedIn 0 Twitter 0 Google+ 0 0 Flares ×

Muitas Iniciativas e poucas acabativas?

É comum nas empresas de todo tamanho terem inúmeras iniciativas, projetos e planos para melhorarem de forma geral.

Definem estratégias, objetivos e ações que se estendem por processos, departamentos e vão tornando os projetos parte integrante do dia-a-dia.

Empresas que têm uma estrutura mais robusta, com um gestor de projetos, ou um escritório de projetos, podem ter uma visão ampla de tudo o que está acontecendo e assim irem monitorando as ações e reportando aos demais gestores e diretoria como as coisas estão andando, ao mesmo tempo em que fazem uma ponte com os demais responsáveis para promover os ajustes de rota se necessário.

Mas, na grande maioria das vezes os projetos iniciam e nunca acabam

Há vários é vários livros, estudos e publicações diversas que descrevem os motivos pelas quais os projetos falham. Há teorias administrativas, de recursos humanos, sociológicas e até antropológicas.

Mas, uma coisa é fato: Com o mercado incerto e sem uma estabilidade adequada na economia, é muito comum que as empresas adotem outras prioridades no afã de se adaptarem às constantes mudanças da realidade e assim ir sobrevivendo de crise em crise.

Estratégias e planos definidos há alguns meses podem não fazer mais sentido agora com tanta instabilidade no governo, na economia e no país.

Por outro lado, há empresas que, mesmo a despeito de toda a instabilidade, perseguem suas metas como uma espécie de missão militar. Essas acreditam que se as metas não forem alcançadas, tudo será muito pior. Ecoam suas estratégias diariamente como um mantra e contagiam todos ao redor, inclusive clientes.

Ok, talvez você não conheça empresas assim tão determinadas, mas acredite, elas existem e são uma inspiração. Aqui na Thinkers nós “grudamos” em gestores que têm esta visão e aprendemos com eles o tempo todo.

E uma ferramenta muito simples e que costumam usar para melhorar a gestão de projetos e saber que cada um fará exatamente o que lhe foi dito para fazer é o RACI.

O RACI facilita o processo de tomada de decisão e acima de tudo, faz com que as pessoas certas estejam envolvidas em cada etapa.

Então da próxima vez que você for determinar novas iniciativas e projetos em sua empresa, lembre-se de adotar o RACI. É simples e muito efetivo.

RACI é um acróstico em inglês e indica ResponsibleAccountableConsulted e Informed, que são quatro parâmetros utilizados em uma matriz para tomada de decisões.

A ferramenta descreve as atividades numa matriz de envolvimento para que as pessoas saibam exatamente como farão as coisas acontecerem.

RACI é  ótimo quando se trata de identificar as funções para que as coisas aconteçam de fato. Principalmente quando há alguma confusão de papéis e responsabilidades dentro da empresa, ou quando as pessoas têm a mania de ir empurrando as coisas e dando uma série de desculpas porque as iniciativas e projetos não acabam nunca.

No próximo artigo iremos abordar em detalhes como utilizar esta ferramenta na prática. Aguardem.

por André Medeiros

ps.: Neste artigo abordamos porque as empresas têm tantos projetos. Uma reflexão interessante que aborda também o tema.

André Medeiros
About André Medeiros

André Medeiros é sócio na Thinkers - Consultoria em Gestão. Especializada em pequenas, médias e empresas familiares.

Leave a Comment